Operação da PC e Sedam cumpre ordens de prisão e busca e apreensão

A operação objetiva combater quadrilhas que praticam fraudes no sistema de controle de créditos ambientais

A operação objetiva combater quadrilhas que praticam fraudes no sistema de controle de créditos ambientais (DOF) utilizado pela SEDAM, bem como, invasores ilegais de áreas de reserva ambiental sob jurisdição do estado.

De acordo com os delegados responsáveis, Julio Cesar e Roberto dos Santos, a Polícia Civil mantém uma força-tarefa na região em parceria com a SEDAM há mais de 06 meses, cujos trabalhos já haviam culminado nas operações “Rota invertida”, “Brocas” e “Terra Prometida” no ano de 2017, ações essas que teriam também embasado a deflagração da operação de hoje.

Ao todo estão sendo cumpridos cinco mandados de prisão temporária, sete mandados de busca e apreensão e um mandado de afastamento da função pública. Dentre os alvos da operação estão um servidor do IDARON e um vereador do município de Campo Novo, além de empresários e madeireiras em Buritis e Campo Novo. A ação conta com a participação de pelo menos 30 policiais civis, técnicos da SEDAM e militares do BPA.

O NOME

De acordo com os Delegados, o nome faz alusão á destruição da madeira e da floresta, que ocorre por meio do sistema informatizado por meio do qual as fraudes são perpetradas, daí o nome Cyber-Cupim.

Fonte: ASCOM

Comments

comments